Olá, Bom dia! Seja bem vindo. Você está no portal Expresso1.com
21ºC
Arapiraca,
Estrelado

Falando de Artes | Helga Silveira

Quem é Helga Silveira? Especialista em Marketing pelo CESMAC, Tutora do curso de Marketing da UNOPAR Arapiraca. Técnica em Educação, Trabalha na Secretaria Municipal de Educação. Amante das Artes, pesquisadora e curiosa sobre tudo que se refere a cultura e as artes em geral.
13/07/2015 18:46:01

Dia desses num feriado, acordei e como de costume fui olhar as mensagens do celular, a primeira que vi foi de uma pessoa com a qual tenho pouca intimidade (esses amigos de facebook que nós aceitamos, mas nem conhecemos direito) lamentando a morte de Cristiano Araújo.

Eu, num grande esforço mental, fiquei tentando saber quem era a pessoa. Nada contra o rapaz e sua música, cada um tem seu espaço, mas confesso que não sabia quem ele era. Lamentei pela sua morte e fiquei durante o dia tentando ouvir alguma melodia que me fosse familiar, mas nada... E conclui que eu tinha ficado velha e que tinha me fechado no meu mundo musical, que é composto por muita coisa antiga e pouquíssima coisa nova.

Falha minha certamente, mas talvez porque arrogantemente eu já me sinta satisfeita com meu repertório, não busquei ver muitas coisas que estão surgindo. Mas dentre as coisas do meu mundo musical, está o bom e velho Rock and Roll, esta música me conquistou há muito tempo atrás, eu tinha mais ou menos 13 anos e já ouvia os primeiros sons do chamado Rock Nacional, confesso que minhas bandas preferidas não eram nada convencionais, nada de Engenheiros do Hawaii, Kid Abelha e os Aboboras Selvagens, não eu gostava mesmo era do o Ira, da Plebe Rude e do Lobão, esses eram meus queridinhos e quem conhece sabe que essa era a turma mais “rebeldizinha” do estilo.

O tempo foi passando e fui me encantando com outras bandas e claro, a Legião Urbana virou minha banda de estimação, só ouvia eles, ela foi a trilha sonora da minha adolescência. Anos depois conheço meu esposo Nardel Guedes, e aí a coisa começa a mudar de figura, um pouco avesso ao rock nacional, ele começou a me apresentar outras coisas que existiam no mundo e eu não sabia, daí passei a entrar no mundo dos clássicos, e Led Zeppelin, Eric Clapton, Deep Purple, Rolling Stones, Casa das máquinas, mutantes entre tantos outros, começaram a fazer parte da minha vida, e o mais importante disso tudo, amei.

Músicas tão antigas, mas imortalizadas na mente e nos corações de gerações. São músicas com uma força e uma energia tão grandes que ultrapassam as décadas e são extremamente atuais. Hoje é o dia mundial do Rock, coincide também com a data de criação da banda Rolling Stones, e apesar de tantos outros ritmos terem sido inseridos na nossa cultura, o rock ainda é o velhinho amado, aquele que colocamos quando queremos dançar, nos emocionar ou apenas escutar, ele preenche com sua energia os espaços que estão vazios e nos dá um impulso para seguir em frente apesar de todos os outros ritmos... sim senhoras e senhores, como dizia o grande Zé Rodrix: “Hoje ainda é dia de rock” e para comemorar este dia, teremos o lançamento de uma nova banda de rock hoje na praça Luiz Pereira Lima a partir das 18h, a Casa da Mata, esta banda é uma prova viva de que o bom e velho rock está mais vivo do que nunca, Vale a pena conferir, eu vou e você?


Serviço: Comemoração do dia Internacional do Rock
Local: Tenda cultural da Praça Luiz Pereira Lima, bairro do Centro.
Hora: A partir das 18h, de forma gratuita.
Bandas: Alfabeto Numérico, Ruan Mello, Casa da Mata e True Classics – esta última fazendo covers de clássicos –,Por sua vez, o quarteto da Casa da Mata fará sua estréia.

1 Comentário

Mais de Falando de Artes | Helga Silveira
Postagens Anteriores12Próximas Postagens